Você está aqui: Página Inicial > Outras Notícias > 2013 > Fevereiro > Órgãos públicos de Uruaçu/GO mobilizam-se para prevenção e combate a crimes durante o Carnaval

Órgãos públicos de Uruaçu/GO mobilizam-se para prevenção e combate a crimes durante o Carnaval

publicado 06/02/2013 06h30, última modificação 11/06/2015 17h14

O juiz federal da Subseção Judiciária de Uruaçu/ GO, Eduardo Luiz Rocha Cubas; o juiz de direito diretor do foro da Comarca de Uruaçu, Murilo Vieira de Faria; a promotora de Justiça Fabiana Cândido Máximo; o presidente da OAB local, Rodrigo Fernandes; o tenente coronel comandante do Batalhão da Polícia Militar, Wagner Lima; os inspetores da Polícia Rodoviária Federal (PRF) Newton Quinzani e Jessé Ferreira; o diretor do presídio local, Renato Rabelo; e demais representantes de órgãos e entidades de segurança pública da região participaram, no dia 23 de janeiro, de reunião sobre a prevenção e o combate a crimes durante o carnaval na cidade de Uruaçu, em Goiás.

Na reunião, foram discutidas as medidas de prevenção e repressão aos foliões que exagerarem na festa popular. Entre as medidas preventivas está uma campanha de informação e conscientização da população para que evite o abuso no uso de bebida alcoólica, pois as sanções decorrentes da nova lei de trânsito são rigorosas.

Por parte do Ministério Público Estadual e do diretor do presídio local está a ação de transferir presos em regime fechado para outras cidades visando a liberação de vagas para aqueles que porventura vierem a ser detidos durante o carnaval, sem prejuízo das vagas existentes na delegacia local. Aos adolescentes serão destinados locais compatíveis, onde deverá se apresentar o responsável pelo menor.

As polícias rodoviárias estadual e federal farão barreiras móveis com uso de bafômetro para coibir a direção perigosa.

Na ocasião, o juiz federal Eduardo Cubas apontou o clima de harmonia entre os órgãos de segurança pública cujas ações coordenadas farão estar presentes todos os fatores para que a festa do carnaval transcorra sem maiores problemas

Fonte: TRF1