Você está aqui: Página Inicial > Outras Notícias > 2012 > Dezembro > Grupo criado para estudos de Plano de Saúde entrega relatório para o presidente do TRF3

Grupo criado para estudos de Plano de Saúde entrega relatório para o presidente do TRF3

publicado 24/12/2012 13h00, última modificação 11/06/2015 17h10

No dia 19 dezembro, o presidente da comissão de estudos de plano de saúde, desembargador federal Johonsom Di Salvo, acompanhado de integrantes do grupo, dentre eles o juiz federal diretor do Foro da Seção Judiciária de São Paulo, Ciro Brandani Fonseca, se reuniu com o presidente do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3), desembargador federal Newton De Lucca, que recebeu o relatório final com o estudo para o futuro processo de contratação do plano de saúde para toda a Justiça Federal da 3ª Região (TRF3-SP-MS).

O grupo foi criado em virtude da necessidade de iniciar os procedimentos licitatórios, uma vez que os atuais contratos com as empresas prestadoras de serviços de saúde se encerrarão no primeiro semestre de 2013, após o primeiro trimestre. O documento foi entregue ao presidente com base em critérios objetivos para a licitação e contratação de um novo plano de saúde que atenderá aos magistrados e servidores, bem como seus respectivos dependentes.

 O desembargador federal Johonsom Di Salvo elogiou a equipe de trabalho: “Eles são a elite do serviço público federal”. Além de tecer elogios, o desembargador se mostrou realizado com a entrega do relatório. O diretor do Foro da Seção Judiciária de São Paulo – membro da comissão – também se manifestou sobre a entrega do estudo, dizendo: “É uma grande honra ter participado desta comissão, sobre a presidência do Dr. Johonsom, que norteou os trabalhos de forma pontual. Foi um trabalho bem gratificante”. Ao receber o relatório, o presidente agradeceu a todos os membros da comissão e declarou: “Eu fico muito feliz e espero continuar contando com a colaboração de todos para o melhor interesse da Justiça Federal da 3ª Região”.

Este estudo aprofundado para a criação do termo de referência levou cerca de seis meses para ser concluído e servirá como base para futura licitação do convênio de saúde, ainda sem data definida. Porém, o certame já está planejado para ocorrer antes do final dos atuais contratos, de modo que a cobertura médica para magistrados e servidores será continuada e sem interrupções.

 

Fonte: Ascom TRF3