Você está aqui: Página Inicial > Outras Notícias > 2012 > Dezembro > Cursos EAD em 2013 serão desenvolvidos por magistrados e servidores selecionados

Cursos EAD em 2013 serão desenvolvidos por magistrados e servidores selecionados

publicado 10/12/2012 20h00, última modificação 11/06/2015 17h10

Dezessete magistrados e servidores de todo o País foram selecionados para desenvolver conteúdos para os cursos de educação à distância que serão promovidos no próximo ano pelo Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Servidores do Poder Judiciário (CEAJud) do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Eles concorreram com mais de 800 desembargadores, juízes e serventuários em seleção promovida pelo CNJ em novembro deste ano.
O chefe do CEAJud, Diogo Albuquerque Ferreira, afirmou que a maior parte dos selecionados possui mestrado e doutorado, além de experiência em educação à distância. De acordo com ele, o resultado da seleção saiu no último dia 30 de novembro e a convocação dos magistrados e servidores ocorreu nessa quarta-feira (5/12).
Os selecionados têm 30 dias para entregar os conteúdos. Serão oferecidas no total mais de 30 vagas de capacitação, por meio de 17 cursos nas áreas de direito, gestão e tecnologia da informação.
Para este último, serão duas as especializações: governança de TI e segurança da informação. O curso de gestão, por sua vez, oferecerá seis formações: gestão por competências, gestão do conhecimento, gestão da educação corporativa, atendimento ao público, orçamento público e gestão de contratos e convênios.
A área de direito prevê nove programas: improbidade administrativa, licitações e contratos, Lei n. 8.112/1990, direito constitucional, direito previdenciário, direito penal, direito administrativo, direito da infância e juventude e direito do trabalho.
De acordo com o chefe do CEADJud, os magistrados e servidores que obtiveram classificação, mas não foram selecionados nesta etapa, serão integrados a um banco de conteudistas, que terá validade de um ano. “Eles poderão ser convocados caso o CNJ venha fazer outros cursos à distância”, afirmou.

Fonte:Agência CNJ de Notícias